O Poder das Pirâmides

Por volta de 1930, Antoine Bovis, radiestesista francês, visitando a pirâmide de Quéops, no Egito, descobriu corpos de gatos e outros pequenos animais mumificados dentro da pirâmide. Depois de vagarem pelos labirintos da pirâmide morreram em seu interior e foram depositados num recipiente na Câmara do Rei. Apesar de estarem mortos há vários dias os corpos dos animais não apresentavam nenhum sinal de decomposição e alguns encontravam-se em estado mumificado (desidratado).

Regressando à França, Bovis construiu uma maquete da pirâmide de Quéops, com 75cm de altura, orientando-a no sentido norte-sul do campo magnético terrestre e, a um terço da sua altura, colocou o cadáver de um gato, que se mumificou, tal como acontecia na pirâmide do Egito. Após fazer várias experiências deu-se por convencido que a pirâmide atuava de tal maneira a deter o processo de putrefação e provocar uma acelerada desidratação dos corpos orgânicos colocados em seu interior.

 

Em 1935, John Hall, de Chicago, fazendo experiências com a pirâmide, empregando um anel de cobre e dois fios, demonstrou que saía uma espécie de carga elétrica do vértice da pirâmide, assim corroborando a experiência de Williams Siemens que, encontrando-se no alto da pirâmide de Quéops, sofreu uma descarga elétrica ao beber de uma garrafa envolta em jornal úmido.

Karel Drbal, engenheiro de radio-comunicação, de origem tcheca, construiu a sua réplica de pirâmide e, fazendo várias experiências, de 1949 até 1954, constatou que a as réplicas da pirâmide de Quéops têm a capacidade de manter lâminas de barba afiadas por muito mais tempo do que o normal. Giletes que tinham uma vida útil de “sete barbas”, afiadas pela pirâmide chegam a cortar “40 barbas”.

Segundo Drbal esse efeito se deve basicamente a dois fatores: (1) uma desidratação rápida, que elimina a umidade nos espaços intercristalinos do fio da lâmina e, (2) uma ação sobre a estrutura microscópica da matéria, que elimina o efeito de “fadiga do metal” causado pelo uso. Para mais detalhes sobre as pesquisas de Karel Drbal com as pirâmides acesse: O Afiador de Lâminas de Barbear e A Luta Pela Patente da Pirâmide.

 

Segundo Eric McLuhan, professor de eletrônica na Universidade de Ontário, EUA, o fato de a pirâmide estar alinhada no norte-sul magnético indica que seus efeitos devem ter alguma relação com o campo magnético terrestre e que de alguma forma as ondas de energia da pirâmide são polarizadas. McLuhan afirma que as pirâmides egípcias são massas sólidas de rocha cujas câmaras são inter-relacionadas como cavidades de ressonância, nas quais podem ser armazenadas ou excitadas a energia eletromagnética.

 

Bill Schul e Ed Pettit, autores dos dois clássicos sobre pirâmides, “O poder secreto das pirâmides” e “O poder psíquico das pirâmides”, realizaram diversas experiências onde constataram que as pirâmides podem, conforme seu uso, acelerar ou retardar o desenvolvimento de plantas além de ter efeitos curiosos sobre pessoas que meditam no interior de réplicas de pirâmides, contribuindo para o afloramento de faculdades paranormais latentes.

 

G. Patrick Flanagan, criança prodígio e inventor, de Glendala, Califórnia, EUA, que aos dezessete anos já era conhecido por seu invento do neurofone, aparelho que transmite impulsos elétricos diretamente ao cérebro, afirma que a energia das pirâmides altera as propriedades dielétricas da matéria sustentando que esta é uma reflexão da carga elétrica da superfície dos corpos. Flanagan constatou ele que a temperatura do interior da pirâmide é ligeiramente superior à do exterior e que o conteúdo de energia varia segundo o momento do dia, a estação do ano, do clima, das fases da lua e da quantidade e polaridade dos íons da atmosfera que rodeia a pirâmide e que, até certo ponto, a energia mental do investigador também pode afetar o resultado.

Desde a década de 1990, o doutor Ulises Sosa Salinas tem utilizado a terapia com pirâmides nas unidades de saúde públicas de Cuba. Segundo Salinas o efeito da pirâmide está baseado no restabelecimento do balanço bioenergético da pessoa enferma mediante a ministração da energia vital conforme sua necessidade, a partir da bioenergia concentrada no centro da pirâmide. Dr. Salinas tem conseguido excelentes resultados em processos de dores e inflamações do sistema osteo-miorticular, afecções cirúrgicas, a “Síndrome de Túnel Carpiano” e a “enfermidade de Querrain”. Salinas garante também a aplicação da energia piramidal em enfermidades como a asma, a hipertensão, e em infecções e inflamações em geral, com ações analgésicas, antinflamatórias, bacteriostáticas, relaxantes e sedativas.

 

Um caso interessante, relatado por dr. Salinas, é o tratamento de uma menina de seis anos de idade, acometida por um cisto ósseo no braço esquerdo, que era decorrente de uma fratura não solidificada. Foi feita aplicação de energia piramidal duas vezes ao dia, em seções de 30 minutos. Após a quarta semana de tratamento a fratura havia solidificado. Após tres meses o cisto já havia diminuído de tamanho de 2 x 2,5 centímetros para apenas 1 x 2,1 centímetros. Após seis meses de tratamento o cisto desapareceu completamente. Veja as fotos das radiografias abaixo. Mais detalhes no link Tratamiento del quiste óseo solitario con energía piramidal.

Veja alguns detalhes relevantes a respeito da prática do dr. Salinas com a terapia piramidal em Cuba neste link Observações sobre as práticas do dr. Salinas em Cuba. Para mais informações sobre experiências realizadas com pirâmides acesse a seção Experiências.

Na Espanha, Gabriel Silva há anos desenvolve um trabalho com pirâmides especialmente construídas para serem montadas sobre a cama. Assim seus usuários podem dormir todas as noites dentro da pirâmide e aproveitam para se reenegizarem durante o sono. Ao contrário do que se costuma informar em cursos de radiestesia aqui no Brasil, dormir dentro de uma pirâmide não traz problema algum, muito pelo contrário. Também não há nenhum risco de excesso de energia, como pensam alguns, e isso é confirmado pelo próprio Dr. Salinas de Cuba, atestando que mesmo que se use uma pirâmide por tempo prolongado não há nenhum risco de excesso. A pirâmide tende a fornecer exatamente a quantidade de energia necessária para restabelecer e equilibrar a bioenergia corporal, e uma vez alcançado este ponto ideal ela apenas mantém o nível de energia.

 

Experiências por mim realizadas também têm indicado que as pirâmides não tem efeito cumulativo. Ou seja, se você colocar duas ou tres pirâmides, uma dentro da outra ou uma sobre a outra, a energia resultante não será multiplicada por tres. A estrutura piramidal tende a fornecer uma quantidade de energia ideal, e pára neste ponto. Portanto, o risco de haver uma overdose de energia é bastante improvável.

Também já recebi diversos relatos de pessoas que dormem ou dormiram dentro de pirâmides, sempre com resultados posivitos. Um senhor me informou que tinha um problema crônico de dor de cabeça, em função do qual teve que recorrer a diversas terapias convencionais. Todas elas eliminado a dor apenas temporariamente. Até o momento em que ele descobriu o uso das pirâmides. Com algumas aplicações de energia piramidal, a dor sumiu, sem necessidade de nenhum medicamento. Como a dor voltou algum tempo depois, decidiu construir uma pirâmide em formato de cama para dormir dentro dela. Desde que tem mantido esta prática, suas dores de cabeça nuna mais voltaram. Esta é uma demonstração clara de que dormir dentro de uma pirâmide não é algo que possa trazer algum efeito negativo para a saúde e o bem estar da pessoa.

 

Por minha experiência pessoal posso informar que já dormi tres meses dentro de uma pirâmide de alumínio, e também tres meses dentro de uma pirâmide de cobre, além de fazer minhas práticas de meditação diária, de aprox. 30 a 60 minutos, dentro de uma pirâmide de cobre, e em nenhum dos casos tive qualquer reação negativa. Atualmente durmo regularmente dentro de uma pirâmide de cobre, para aproveitar o período de descanço noturmo para restabelecer as bioenergias do corpo. Não tenho observado nenhum efeito indesejável, apenas os benefícios de dormir melhor, com um sono mais tranquilo e profundo, e de acordar mais revigorado e descançado. Há também relatos de pessoas que experimentaram dormir dentro de uma pirâmide e verificaram que o número de sonhos e a qualidade dos mesmos aumentou de forma significativa.

Lembrando que, o uso de pirâmides deve ser, sempre, visto e praticado como atividade complementar. Nunca, em momento algum, deve-se interromper um tratamento médico ou a ingestão de medicação receitada por profissional da área de saúde. No caso de uso da pirâmide para fins terapêuticos, as consultas médicas e o tratamento receitado devem ser mantidos normalmente. Se houver a necessidade ou possibilidade de parar o uso de medicamentos ou outros tratamentos convencionais, tal iniciativa deve partir do médico devidamente habilitado que esteja tratando do caso. E caso o médico, diante dos sinais positivos hora apresentados, resolver eliminar ou reduzir os medicamentos, isso só vem a servir como comprovação de resultado positivo proveniente do uso da pirâmide.

No Brasil ainda não há registros tão bem catalogados como os estudos de Salinas, mas diversos terapeutas holísticos têm utilizado a pirâmide em suas clínicas como tratamento alternativo complementar. Também diversos usuários domésticos têm utilizado a prática com pirâmides a fim de obterem resultados positivos no equilíbrio e fortalecimento de sua bioenergia pessoal, bem como na prática de meditação, relaxamento, e projeção astral. Desde 2005 tenho recebido relatos de clientes reportando resultados positivos nas suas práticas de meditação. Segundo os relatos a pirâmide provê além do relaxamento próprio esperado de uma prática meditativa um aprofundamento e uma maior facilidade durante a prática feita juntamente com uma pirâmide de alumínio ou de cobre. Bill Schul e Ed Pettit relatam em um de seus livros, terem também verificado que pessoas que utilizavam pirâmides reportavam uma maior sensação de relaxamento e uma espécie de silêncio, mesmo utilizando pirâmides abertas (pirâmides feitas apenas por arestas, sem “paredes”), que não poderiam bloquear os sons externos.

 

Até o momento não se sabe exatamente como ou porque as pirâmides apresentam os efeitos relatados. Muitas teorias surgiram para explicar esse fenômeno, mas nenhuma é aceita amplamente, nem reconhecida oficialmente pela ciência. Mesmo assim, diversos estudiosos e praticantes pelo mundo têm se empenhado em aperfeiçoar a técnica para obter o máximo de benefício desta ferramenta que, além de possibilitar resultados positivos, normalmente não apresenta nenhum efeito colateral negativo.

Alguns usos para as Pirâmides

 Meditação e relaxamento: Se você tem em casa uma pirâmide grande em forma de barraca, pode usá-la para meditar ou fazer relaxamento em seu interior. Disponha de alguns minutos todos os dias para sentir seus efeitos, como bem-estar, aumento de memória e diminuição de tensão emocional.

 Tratamento de plantas: Quanto mais tempo suas plantas ou flores ficarem sob a atuação da energia das pirâmides, mais bonitas ficarão, mudando até mesmo, a coloração de suas folhagens.

 Limpeza e fortalecimento bioenergético: Para fazer a limpeza da sua aura retirando a “poeira astral” que trazemos da rua, auxiliando na manutenção, fortalecimento e equilíbrio da sua bioenergia pessoal.

 Harmonização de ambientes: A pirâmide atua no ambiente onde se encontra, de forma até o momento não plenamente compreendida, tornando o local arejado, com ar mais fresco, fazendo com que as pessoas ali presentes sintam-se mais confortáveis e as plantas mais saudáveis e viçosas. É possível que a pirâmide auxilie na concentração de íons negativos do local, favorecendo a sensação de bem-estar.

 Prática de projeção astral: O uso de pirâmides pode favorecer a prática de projeção astral, provendo um aprofundamento do estado de relaxamento e concentração, e facilitando a chamada projeção consciente, quando se consegue fazer a projeção de forma ordenada e trazendo no retorno clara lembrança dos eventos ocorridos durante a projeção.

Efeitos da energia piramidal

(Segundo os estudos e práticas do Dr. Ulises Sosa Salinas)

 Analgésico (diminui a dor)
 Anti-inflamatório (reduz e controla processos inflamatórios)
 Bacteriostático (dificulta o desenvolvimento de bactérias)
 Relaxante
 Sedativo

Manual sobre pirâmides do Dr. Salinas

O dr. Ulises Sosa Salinas dispõe na internet, gratuitamente, um manual sobre a utilização de pirâmides, dividido em quatro volumes. Infelizmente só há versão em espanhol, mas como portugues e espanhol são línguas próximas, com um pouco de esforço e paciência você consegue ler o material. Faça o download do manual de Salinas nos links abaixo:

 Manual Piramide Primera Parte (Ulises Sosa Salinas).doc
 Manual Piramide Segunda Parte (Ulises Sosa Salinas).doc
 Manual Piramide Tercera Parte (Ulises Sosa Salinas).doc
 Manual Piramide Cuarta Parte (Ulises Sosa Salinas).doc

Veja também:

 Desmistificando as pirâmides – parte 1 – Pirâmide é magia?
 Desmistificando as pirâmides – parte 2 – A pirâmide cura doenças?
 Desmistificando as pirâmides – parte 3 – A pirâmide realizará meus desejos?

Mais matérias sobre pirâmides:

 

 Psicólogo monta consultório no formato de pirâmide
 Médicos cubanos utilizam terapia com pirâmides
 Médicos utilizam método alternativo para aliviar dor
 Evidencias de la energía piramidal
 Tratamiento del quiste óseo solitario con energía piramidal
 Experiências com pirâmides
 Terapéutica piramidal en Ortopedia, ¿mito o realidad?
 Como foram construídas as pirâmides
 45 pirâmides na China localizadas pelo GoogleEarth
 Pirâmide e bolas de pedra na Itália
 Estudiosos buscam evidência de pirâmides na Bósnia